terça-feira, 7 de agosto de 2018

Edra Conquista Terceira Premiação Consecutiva

Cartunista Edra / Foto de Wilson Martins

Artista celebra 23º prêmio, alcançado na mesma 
cidade onde ganhou o seu primeiro prêmio, há 31 anos 

CARATINGA- O cartunista Edra anunciou sua terceira premiação de 2018. Depois de conquistar o primeiro lugar na categoria tiras-quadrinhos, no ‘16º Salão de Humor de Cerquilho’ e o terceiro lugar na categoria charge, pelo ‘13º Salão de Humor de Mogi Guaçu’, o caratinguense foi classificado em primeiro lugar na categoria direitos humanos, no ‘Salão Internacional de Humor da Cidadania / Preconceito Não Tem Graça’, de Brasília. 
 Para Edra, a conquista tem um sabor especial e remete a um episódio muito importante de sua carreira. Foi também em Brasília que ele recebeu sua primeira premiação em 1987, O 2º lugar na categoria charge, no 1º Salão Aspone de Humor. 
 Nesta entrevista ao DIÁRIO DE CARATINGA, ele fala sobre o ano que tem sido produtivo para sua carreira, seus projetos e da realização como artista, sendo considerado um dos mais premiados do Estado e do País. 

 Como você avalia esta conquista recente, com a premiação no Salão Internacional de Humor da Cidadania? 
 Premiação é sempre uma coisa muito prazerosa, mas sendo em Brasília para mim foi uma coisa muito especial, porque foi onde tudo começou. Foi lá que tive minha formação profissional, então foi uma coisa bem impactante nesse sentido, diferenciado. Duas coincidências importantes, min há formação profissional e meu primeiro prêmio serem em Brasília. Agora está sendo o 23° prêmio. Bacana também que é um Salão muito concorrido, as premiações são a maioria direcionadas para cartunistas de Brasília, então de fora foram só dois, um internacional e o nacional. Isso afunilou mais ainda a concorrência do prêmio. É muito legal você ver a premiação toda internacional, vários países e o meu nome lá, acompanhado por Caratinga, é um orgulho muito grande. E esses trabalhos vão sair em catálogos, tudo isso enriquece o currículo da gente. Além do primeiro lugar tive duas menções honrosas. 

 Como foi o processo de concepção da charge vencedora? 
 A participação no Salão de Humor é muito interessante, é igual um cantor que faz uma música, lança um CD, acha que aquela música vai fazer sucesso e acaba outra fazendo. No Salão, às vezes você acha que vai ganhar com uma charge e é a outra. E essa especificamente que eu ganhei, não é que não acreditava, achei que tinha potencial bom, mas ela dá uma margem muito grande de interpretação, igual ‘Parabéns pra você’, simples, mas ninguém conseguiu fazer outro igual. Então ela foi bem dirigida, de fácil assimilação de todo mundo, mas, essa gama de interpretações dela talvez tenha sido o mais instigante na elaboração. É aquela ideia que está ali para todo mundo ver de tão lógica que é, mas realmente dá muita interpretação. 

 O tema do Salão de Humor de Brasília foi ‘Preconceito não tem graça’. Qual a importância de trabalhar temas como esse? 
 Os assuntos dos salões de humor são bastante pertinentes. E o tema também é muito instigante, é a intolerância, declaração dos direitos humanos; o preconceito de raça, cor ou gênero. O mais importante da charge não é só o humor, é reflexão, informação, a indignação, propagar a ferida. O cartum com tema te limita, isso se torna um desafio ainda maior. 

 Além desta terceira premiação, você também foi selecionado para 10º Salão Medplan de Humor... 
 Sim. Também tive a notícia de que fui selecionado em um dos principais salões do Brasil que é o Medplan, lá de Teresina/PI. Talvez dentro do assunto de quem foi premiado pode parecer pouco, mas ter sido selecionado é uma coisa muito forte. Foram 1.111 trabalhos inscritos e só 37 selecionados. De cartum especificamente foram somente 23 e eu tive dois trabalhos selecionados. Não fui premiado, mas fiquei muito feliz. 

 Você tem participado dos salões em diferentes categorias, se redescobrindo como artista. Como tem sido essa produção? 
Já tive esse ano ainda o 3º lugar em Mogi Guaçu e o legal que são três anos seguidos lá, cada um numa categoria diferente, charge, história em quadrinhos e cartum. Ganhei em primeiro lugar em Cerquilho, categoria tira. O que também é interessante, porque o que mais pratico no segmento do desenho de humor é justamente charge e cartum. Quadrinhos produzo pouco e tenho conquistado prêmios nessa categoria também, o que está me deixando acreditar que levo dom para quadrinhos, que é do mesmo segmento, mas é uma outra linguagem, outra forma de criação. Já é a terceira premiação de 2018. 

Ainda há espaço para outras este ano? 
Com certeza (risos). Fiquei parado muito tempo para o Salão e agora nesses dois anos seguidos tenho participado mais e agora a tendência é continuar participando, porque está sendo bem estimulante. Com essas minhas premiações, já estou sendo considerado um dos mais premiados de Minas Gerais e também do Brasil. Mas, tem cartunista que é premiado 60, 80 ou 140 vezes, mas fica por conta de Salão de Humor, participa de tudo; mesmo assim ainda com essa margem de premiação, consegui atingir um nível legal de conquistas. Estou bem empolgado, muitas vezes eu mandava o trabalho de forma despretensiosa, o que já tinha pronto. De uns tempos pra cá já estou fazendo um trabalho mais focado, tentar realmente fazer uma coisa mais trabalhada, pensada especificamente para o salão, pegar um papel em branco e ficar pensando, já acordar de madrugada com a ideia e esboçar. Tenho feito mais dessa forma e graças a Deus tem surtido efeito. 

Paralelamente a estes trabalhos, você também se dedicou bastante no lançamento de livros. Atualmente trabalha em outros projetos voltados para a literatura? 
Produzi bastante livro nos últimos três anos. E para mim esse ano tem sido uma benção, uma dádiva, com o lançamento do livro em homenagem ao Ziraldo pela Editora Melhoramentos e mais recentemente ‘A saga de um  cartunista na terra de Ziraldo’, pela FUNEC Editora. Para este ano estou trabalhando muito o livro em homenagem ao Ziraldo, já tenho outros lançamentos programados, então se for o caso de produzir mais livros, realmente tenho outros projetos em andamento, seria para os próximos anos. Mas, é isso que move a gente, produzir. E ver o resultado positivo. 

Quais são as suas considerações finais? 
 Quero externar a minha alegria dessa conquista, porque é bacana participar e ser contemplado, levando Caratinga junto. Fica muito feliz com essa dobradinha, queremos compartilhar com os amigos e conterrâneos, eles torcem por mim, isso tudo converge a favor.

Fonte: Diário de Caratinga - 01/08/2018


quarta-feira, 20 de junho de 2018

Lançamento: Livro de Charges Registrando o Início da Minha Carreira no Período de 1980 a 1994

Livro registra o início da profissão na imprensa
de Brasília e sua longa atuação em  Caratinga

Estarei lançando o meu mais recente livro "A Saga de Um Cartunista na Terra de Ziraldo", nessa sexta, 22, no Instituto Hélio Amaral, dentro da programação da 1ª Feira Literária de Caratinga.

O início de tudo - Com 56 páginas, o livro “A Saga de um Chargista na Terra de Ziraldo”, publicado sob o selo Funec Editora, apresenta as primeiras charges de minha autoria publicadas na imprensa, abrangendo o período de 1980 a 1994, passando pelos jornais Correio Braziliense, Jornal de Brasília (DF) e A Semana, de Caratinga, apresentando a cronologia de minhas atividades durante os primeiros 14 anos de minha carreira de cartunista.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Lançamento de Mais Dois Livros de Charges

Os livros serão lançados na 1ª Feira Literária de Caratinga

Estarei lançando nesta sexta, 22, no Instituto Hélio Amaral, durante na 1ª Feira Literária de Caratinga, mais dois livros de charges: A Saga de Um Cartunista na Terra de Ziraldo e Pintou Sujeira no País da Lava jato.
Em caráter especial, durante a Feira Literária, a pessoa que adquirir a obra “Pintou Sujeira no País da Lava Jato” estará recebendo de presente a outra publicação.

sábado, 17 de março de 2018

quinta-feira, 1 de março de 2018

Cartunista Edra Lança Livro Ilustrativo/Biográfico em Comemoração aos 85 Anos de Ziraldo


Edra, Zélio, Ziraldo e Ique.

  Sinopse: Para homenagear Ziraldo nas comemorações de seus 85 anos, Edra reuniu um batalhão de cartunistas e pediu a cada um que fizesse uma caricatura do artista. Reunir estas caricaturas em um livro foi apenas parte da brilhante ideia de Edra que, além de cartunista, também é curador do Salão de Humor de Caratinga e da Casa Ziraldo de Cultura, ambos em Caratinga, cidade natal dos dois amigos. 
 A segunda parte brilhante foi trazer uma biografia com dados, datas, fotos, desenhos e particularidades da vida e da obra de Ziraldo que adorou o trabalho e abriu seus arquivos para complementar a obra. 
 O resultado foi este livro-homenagem que teve ainda a colaboração dos irmão de Ziraldo, Zélio e Gê Pinto, texto de apresentação de Jal, e texto de 4ª capa de Jô Soares. Entre os cartunistas participantes, destaque para o outro grande mestre Maurício de Sousa. 

 Autor: Natural de Caratinga/MG, EDRA (Élcio Danilo Russo Amorim) é cartunista, produtor cultural, design gráfico e editor. É realizador do Salão Internacional de Humor de Caratinga; idealizador/fundador da Casa Ziraldo de Cultura; da Gibiteca Turma do Pererê e presidente da Associação Estação Cultural de Caratinga. Iniciou sua carreira em 1980, no Correio Braziliense (DF) e tem trabalhos publicados em diversos jornais e revistas nacionais e internacionais. Foi chargista do Diário de Caratinga, por 13 anos. É autor de 25 livros, colaborador de importantes editoras do país e dos portais de humor Chargeonline e Brazilcartoon. Tem 18 premiações, entre os vários Salões de Humor de que já participou, no Brasil e no exterior. 

 Homenageado: Ziraldo nasceu em Caratinga, Minas Gerais, em 1932. Autor de livros infantis, ilustrador e cartunista, é uma das personalidades de maior destaque na cultura brasileira. Sua obra compreende mais de 167 títulos para crianças e jovens, além de publicações para adultos. Com seus livros traduzidos para diversos idiomas, entre eles o inglês, o espanhol, o alemão, o francês, o italiano e o hebraico, Ziraldo representa o talento e o humor brasileiros no mundo. Seu livro de maior sucesso, O Menino Maluquinho, é um dos maiores fenômenos editoriais de todos os tempos no Brasil. O livro foi adaptado para teatro, quadrinhos, ópera infantil, videogame, internet e cinema, e conta com 112 edições, tendo vendido mais de 3,5 milhões de exemplares. 

Cartunistas participantes: Abel Costa, Afonso Carlos, Alan Souto Maior, Alecrim, Alisson Afonso, Alpino, Amarildo, Amorim, André Barroso, André Camargo, Ariel, Aroeira, Baptistão, Bira Dantas, Biratan, Brito, Camaleão, Camilo Riani, Cerino, Chico Caruso, Cláudia Kfouri, Cláudio Aleixo, Cláudio Duarte, Cláudio Teixeira, Dálcio Machado, Edra, Enderson Santos, Erthal, Evandro Rocha, Fábio Coutinho, Fernandes, Ferreth, Fraga, Genin, Gervásio, Glen Batoca, Guedes, Hippertt, Humberto Pessoa, Ique, Ivo Favero, Izânio, J.Bosco, J.Fontinele, Jack, Jal, Jindelt, João Bento, Jorge Braga, Jorge Inácio, Leite, Lézio Jr., Liberati, Lucas Leibholz, Manga, Mário Alberto, Maurício de Sousa, Mauro Miranda, Mello, Mig, Miller Almeida, Moisés, Mônica Fuchshuber, Mônico Reis, Nei Lima, Paulo Branco, Paulo Caruso, Quinho, Rice, Rossi, Rui Miranda, Santiagu, Sérgio Gomes, Seri, Sid, Simch, Stegun, Suélen Becker, Thiago Lucas, Toscano, Turcios, Ulisses, Veronezi, Willian Medeiros e Xavier. 

Fonte: Editora Melhoramentos

Capa do livro / Caricatura do Ziraldo por Edra.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Eleições / Compra de Votos

Charge publicada na edição de hoje do Diário de Caratinga e de Teófilo Otoni.

Com esta charge denominada "Compra de Votos", conquistei mais uma premiação em salões de humor. A quarta só este ano e a segunda vez na Mostra Internacional Virtual de Humor concorrendo com grandes nomes do cartum e realizada por uma trupe de primeira linha de cartunistas que apresentou desta vez o tema "Eleições"

quarta-feira, 21 de setembro de 2016